Banalidade do mal

28 set • Caso do DiaNenhum comentário em Banalidade do mal

A violência em unidades de saúde não ocorre somente em Porto Alegre. A UPA Canudos, em Novo Hamburgo, teve de ficar fechada nesse sábado (26), por mais de três horas devido ao ataque a tiro e agressões desferidas por uma pessoa que buscava atendimento.

No Postão da Vila Cruzeiro, em Porto Alegre, os médicos, dentistas e enfermeiros vivem sobressaltados por episódios violentos e tiroteios. Quando não é na entrada, é na saída – ou durante. O Sindicato Médico do RS vem martelando esse assunto há um bocado de tempo e advertindo que não há condições para se trabalhar.

Na Faixa de Gaza, os tiroteios e a violência não ocorrem todo o dia. Aqui, sim. A Faixa de Gaza vira manchete. Aqui, é assunto corriqueiro. Esta é a banalidade do mal.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »