As branduras da lei

6 jul • Caso do DiaNenhum comentário em As branduras da lei

Sara Tótaro foi assassinada, e ao assassino sobram as branduras da lei

A crueldade apreendida. Foi apreendido o menor de 16 anos que matou friamente a universitária Sara Votto Tótaro, 22 anos, em assalto na Zona Sul, dia 23 de junho. Como de hábito nesses casos, ele não quis atirar na menina. Só faltou dizer que a culpa foi dela.

Eu – e um milhão e 400 mil porto-alegrenses – não consigo me conformar com assassinatos bárbaros em que, ao fim e ao cabo, o autor cumpre uma pena mínima em prisão mínima, que é a Fase, e depois sai pronto para outra. Podem invocar o argumento que quiserem, não me comovo com eles. Sara foi saqueada da pouca vida que viveu e o que matou sem querer querendo não está nem aí.

No fundo, é sempre assim: ao criminoso, as branduras da lei; à vítima, uma família destruída.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »