As antas que acham

8 out • A Vida como ela foiNenhum comentário em As antas que acham

Um profissional liberal me abordou na academia em um sábado antes das eleições passadas. Sabendo que sou jornalista, pergunta o que eu achava dos debates. Durante os exercícios eu desligo a chave geral, não quero achar nada. Então, dei uma resposta vaga. Ele insistiu. Subi na esteira e a botei para funcionar. Eu acho todo santo dia, de manhã, de tarde e de noite na rádio, jornal, site e Face, estou achando demais, então me dá duas horas de folga, pode ser distinção?

– Eu acho que deveria ter outro debate depois das eleições.

Pelo menos não precisei eu achar. Aumentei a velocidade da esteira.

– Acho que deveria reunir o vencedor da eleição e os candidatos derrotados. Para cobrar.

Tive que achar.

–  Mas cobrar o que, vivente?

– As promessas de campanha, ora.

Achei de novo. Arre, profissão filha da mãe.

– Mas o cara nem assumiu ainda! Nem mesmo formou a sua equipe! Como é que vão cobrar uma coisa que ainda não aconteceu?

Por um breve momento ele não achou nada. Em seguida achou.

– Bom, poderiam cobrar como ele vai fazer.

– Bicho, isso não tem nenhuma lógica.

– Tu achas?

Profissional liberal com esse papo de anta. Sábado de manhã. Na academia.

Seja jornalista, eles disseram, você vai conhecer um mundo de pessoas interessantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »