Amor de camarão  

26 dez • A Vida como ela foiNenhum comentário em Amor de camarão  

Maior plantador de soja do mundo ao seu tempo, Olacyr de Moraes ganhou muito dinheiro e também gastou, e ainda gasta, muito dinheiro. Entre seus hobbies um conjunto renovável de sete ou oito belas mulheres que o acompanhavam para onde fosse. Entrava nos hotéis com seu séquito sem dar pelota para críticas.

Certa vez, ele foi entrevistado por um programa de televisão, e uma das perguntas foi feita por uma repórter presente no estúdio. Ela perguntou se Olacyr não se envergonhava de ter um harém de mulheres que não o amavam, que estavam com ele só pelo dinheiro. Do alto dos seus sapatos com sola dupla para aumentar um pouco a sua altura, o Rei da Soja devolveu com juros e correção.

– Olha, moça, eu gosto muito de camarões, mas se eles entrarem na minha boca não fico perguntando se eles me amam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »