Ainda não comemos carne de cavalo podre

6 abr • A Vida como ela foiNenhum comentário em Ainda não comemos carne de cavalo podre

Quando o Brasil entrava em uma fase turbulenta, meu pai, que nasceu na Alemanha, sempre dizia que nós jornalistas usávamos demais a palavra crise. Crise, dizia, é comer carne de cavalo morto quase podre. Crise é quando se precisa ferver solas de sapatos ou botas, por horas, para extrair alguns gramas de proteína.

Não falava em vão. Ele lutou na I Guerra Mundial – eu disse primeira – a bordo de um caça-minas da Marinha Imperial alemã. Quando terminou a guerra e voltou para casa, foi essa a realidade que viu. Por isso, veio para o Brasil.

Desta vez, vivemos uma crise de fato. Mas ainda não comemos carne de cavalo podre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »