A usina que derreteu

22 nov • NotasNenhum comentário em A usina que derreteu

Chernobyl vocês conhecem. Até hoje, e provavelmente por centenas ou milhares de anos mais, 30 Km2 no entorno da usina nuclear da Ucrânia é radioativa. A densa vegetação aparentemente está normal, mas se alguém comer uma salada de qualquer coisa verde, na noite seguinte, fica azul desde 1986. O reator que derreteu está sepultado por dezenas de milhares de toneladas de bário, entre outros materiais que impedem a fuga de radioatividade. Porém, e esse é um porém assustador, o reator não “apagou” de vez.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »