A traição da cozinheira

9 jan • A Vida como ela foiNenhum comentário em A traição da cozinheira

“…sorte tua, azeitona só nessa”.

O falecido chargista Sampaulo, que Deus o tenha, gostava muito de contar uma que aconteceu com ele envolvendo empadas e azeitonas. Na rua André da Rocha, havia um bar especializado em reunir jornalistas e boêmios, também famoso por suas empadas, pequenas porém saborosíssimas. O propreitário do estabelecimento, conhecido mão-de-mulita, gabava-se que azeitona era artigo muito raro no quitute, porque cara. Por alguma razão, encanzinou que azeitona comia seu lucro. Mania de biriteiro, claro. Bueno. O Sampa chegou lá numa manhã de sábado e pediu uma empada. Ela veio, ele comeu e, triunfante, exibiu a azeitona escondida no miolo. – Sorte tua, foi só nessa – disse o proprietário. Sampaulo então pediu outra. De novo encontrou uma azeitona. – Coincidência, acontece – falou, mas já de cara amarrada, olhar atravessado para a cozinha. Na terceira empada comida por Sampaulo, outra azeitona. – Vai ver a cozinheira se enganou. Na quarta sorte grande azeitoneira, o dono do bar não falou mais nada. Levantou, foi para a cozinha e deu uma porrada na cozinheira

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »