A Primeira Emenda

8 ago • Caso do Dia, NotasNenhum comentário em A Primeira Emenda

mordaça foto freepik

Não existe liberdade de expressão no Brasil. Nem de imprensa. Não existe a Primeira Emenda, como na Constituição dos Estados Unidos, que assegura a livre expressão. O que existe é poder falar a favor de alguém ou alguma coisa, etnia, instituição ou partido. Se você insistir em sair dos trilhos estabelecidos pela malfadada Carta de 1988 ou dos apêndices nela colocados depois, tem grande chance de entrar em cana ou perder todo seu dinheiro para os advogados. Ou as duas.

Foto: Mano Creado

A mordaça do milênio

Nas redações, você tem que ter muito cuidado com o que escreve ou diz. Qualquer milímetro fora da linha, lá vem ação por dano moral. Leio um monte de besteiras nos blogs e, pelo menos aí, existe uma certa liberdade, até que o Face o bloqueie. Não posso criticar – ou mesmo não posso dizer que não gosto de – alguns povos tutelados que lá vem processo. Esclareço que não tenho nenhum, então não é desabafo. É constatação. Estamos verbal e mentalmente amordaçados.

Sem espontaneidade

Para piorar tudo, existe a Lei do Politicamente Correto, uma praga mundial que cerceia até seu jeito de falar, e que aqui chegou às raias do ridículo. Se algum aldeão da Idade Média revivesse e se deparasse com esses disparates, daria boas risadas. Por exemplo, feminilizar cargos. Essa praga tira até a espontaneidade de falar. Até mesmo no seio das famílias, sempre tem um que cobra os desvios.

Conclusão

Então, não vivemos em uma democracia digna deste nome. Estamos a milímetros do obscurantismo.

Estranhas convenções

As convenções que escolheram seus candidatos em todos os níveis foram, em boa parte, uma mistura esquisita de vices pessoa-jurídica, de acomodações tectônicas, mesmo em relações já fraturadas, mas posteriormente engessadas pelo bem comum. A Causa. Seria bom se não fossem algumas esquisitices

Poste-reserva

Por exemplo, da cadeia Lula Nosso Guia insiste na candidatura, mas já sabendo que as chances de o TSE liberá-lo são remotas. Então, ordena pela estafeta Gleisi Hoffmann que Haddad será o Poste Titular-Vice e deixa nas entrelinhas que poderá ser o Poste candidato em seu (de Lula) lugar. As mesmas instruções valem para a aliada Manuela D’Ávila, do PCdoB, que se resignou a ser segundo estepe em nome da unidade das esquerdas.

Explode coração

Houve tempo em que bateria só arriava. Hoje explode. Os órgãos reguladores norte-americanos e europeus pensavam que incêndios pontuais de baterias de lítio seriam debelados pelo gás retardador de chama exigido para os compartimentos de carga dos aviões de passageiros. Mas testes realizados pela Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA) apontaram que os sistemas de controle não são capazes de extinguir um incêndio em uma bateria combinado a outros materiais altamente inflamáveis.

O futuro

No futuro, entendido como longo ali, deverão ser proibidos equipamentos maiores que um telefone celular, mesmo nas bagagens.

Pequenos negócios

Os pequenos negócios que produzem alimentos ou bebidas de alto valor agregado estarão em destaque na Expoagas 2018. Entre os dias 21 e 23 de agosto, ,no espaço coordenado pelo Sebrae RS.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »