A máquina do tempo

31 ago • A Vida como ela foiNenhum comentário em A máquina do tempo

No final dos anos 60, o jornal carioca O Pasquim publicou esta preciosidade de miniconto. Quem o editou não sabia o nome do autor, o que é uma pena. Posso ter esquecido algum detalhe quando ele veio à superfície da minha memória, mas é por aí. É muito engenhoso. Ei-lo:

“O velho professor deu um grito, que ecoou no porão da casa onde mantinha um laboratório. Alarmou a sua filha, que estava arrumando a sala. Ela desceu correndo e viu o pai irradiando felicidade. Ao lado estava a estranha máquina em que ele trabalhava há anos.

– Veja só minha filha, eu descobri a máquina do tempo! Finalmente a humanidade poderá saber como foi a criação. Eu vou apertar este botão e voltaremos no tempo inclusive no que acabei de dizer agora!!arogA. opmet on someratlov e oãtob etse ratrepa ouv uE. oãçairc a iof omoc rebas àrepod edadinamuh a etnemlaniF! opmet od aniuqàm a irbocsed ue, ahlif ahnim òs ajeV.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »