A involução

25 abr • A Vida como ela foiNenhum comentário em A involução

modelo crédito da foto albrecht (2)

Os merchandisings nos programas de TV estão cada vez mais salientes e apresentados de forma absolutamente sem pejo, sem vergonha. Ao contrário do cinemão de Hollywood, que primava pela descrição ao enaltecer os produtos, na TV esse tipo de publicidade discreta se tornou mais escrachada que biografia de artista.

No domingo passado, vi o Faustão mostrar na fuça da câmara um tal de Vanish, que imagino ser produto de limpeza. Fê-lo com tal acinte que a discrição subliminar do merchandising clássico daria voltinhas na sepultura. Inclusive duvido da eficácia dele, embora hoje a quantidade de macacos venha aumentando como nunca.

Lembrei de um filme do cantor Vitor Mateus Teixeira dos anos 1970. Em um dos filmes, ele viaja sozinho para Torres a bordo do seu Ford Landau para se recuperar do que hoje chamamos estresse. De repente, Teixeirinha saca uma carteira de cigarros da marca Hollywood do bolso do paletó e a mostra ostensiva e demoradamente para a câmara, um close de um prédio. Ri muito da cena – os filmes do artista eram tão bons que eram bons, se vocês me entendem.

Pois o Faustão foi muito mais escrachado do que o Teixeirinha, e olha o tempo decorrido entre os dois. É a famosa involução.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »