A história da tampinha

25 ago • A Vida como ela foiNenhum comentário em A história da tampinha

Fernando-Albrecht-fala-sobre-a-história-da-tampinha-e-do-homem-musculoso-de-sua-infância

Eu e meus humildes pesos que coloco nos aparelhos da musculação do União não somos páreos para os fortões que levantam, imagino, uma jamanta de 60 toneladas. Os mamãe-olha-como-sou-forte lembram um querido amigo dos tempos dos bar-chopes da Porto Alegre, que já morreu, e a história da tampinha de garrafa.

O Ubirajara era da Fronteira e nunca perdeu o sotaque, ele e seu falar ciciante porque tinha dentes frontais bem separados. Uma noite dessas no Styllo’s Bar, na esquina da Independência com a Garibaldi, Porto Alegre, o Bira contou que seu pai fazia questão de exibir seus músculos adquiridos no trabalho braçal só com os dedos.

Sua força era tal que conseguia esmagar objetos usando só o polegar e o indicador. Então o velho gostava de se exibir para a molecada, ficando com o torso nu para mostrar a musculatura e em seguida amassava uma tampinha de garrafa atrás da outra só com o polegar e o indicador tão facilmente como se elas fossem de papelão.

Admirada com a proeza, a gurizada com os olhos arregalados. O velho esperava a turminha absorver bem a façanha e olhava bem nos olhos para o arremate do causo.

– E olha que é a tampinha mais forte que a companhia produz!

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »