A arte da subtração

28 dez • Caso do DiaNenhum comentário em A arte da subtração

 Escrevi uma nota na página 3 do Jornal do Comércio com este título. Tome cuidado com os chamados “descuidistas” no Centro Histórico. São capazes de subtrair carteiras, celulares e até de fechar as bolsas depois, para dar tempo de sair calmamente antes que a vítima descubra o estrago. É o requinte da profissão. No popular, batedores de carteiras. Quase magia e sem violência. Isso é coisa de muquirana.

 Nos anos 1950 e 1960, a maior parte era carioca, depois os nativos começaram a pegar a manha. O que é o estudo, não é mesmo? Os realmente bons faziam misérias na frente de todo mundo e ninguém desconfiava, muito menos a vítima.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »