A arquitetura da morte

2 ago • NotasNenhum comentário em A arquitetura da morte

 Não estou brincando. Até há poucos anos, os turistas uruguaios, principalmente, tinham dois pontos obrigatórios de visitação: o Monumento a Júlio de Castilhos, na Praça da Matriz, e o Cemitério São Miguel e Almas. Há uma justificativa: a arquitetura mourisca do complexo.

Fernando Albrecht é jornalista e atua como editor da página 3 do Jornal do Comércio. Foi comentarista do Jornal Gente, da Rádio Band, editor da página 3 da Zero Hora, repórter policial, editor de economia, editor de Nacional, pauteiro, produtor do primeiro programa de agropecuária da televisão brasileira, o Campo e Lavoura, e do pioneiro no Sul de programa sobre o mercado acionário, o Pregão, na TV Gaúcha, além de incursões na área executiva e publicitário.

FacebookTwitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »