A agruras de Emerson

11 abr • A Vida como ela foiNenhum comentário em A agruras de Emerson

A aparente tranquilidade com que Emerson Fittipaldi foi a um programa de TV dizer estava falido e mal pago lembra aquela piada judaica do cara que devia pagar um monte para alguém na manhã seguinte e não conseguia dormir. Sua mulher pediu que ele ligasse ao credor e contasse que ele não tinha como pagar. Isso foi feito. Então ela se virou para o marido.

– Agora podes dormir tranquilo. Quem não vai dormir é teu credor.

Há uma outra versão. A coisa andava feia para o lado de Moishe. Os negócios iam mal, o dinheiro não dava para pagar as contas no final do mês. Ele desabafava as dores para um amigo que comentou:

– Moishe, nada pode estar tão ruim.

– Você e seu otimismo não resolvem nada – respondeu Moishe, irritado. – Mas, é verdade. Se alguém está enrascado, se procurar bem no fundo da alma, vai encontrar um motivo para estar grato.

– E o que eu tenho para agradecer?

– Agradeça por não ser um de seus credores…

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »