A greve do regador

3 jun • Caso do Dia1 comentário em A greve do regador

Regador verde com bocal preto

Entre as minhas atribuições caseiras quando minha gente viaja está a de molhar as plantas das sacadas. E olha que tem. Vasões, vasos e vasinhos. Para os dois primeiros, uso um regador de bom tamanho, mas os últimos uso garrafas PET de meio litro. Não desperdiça água, mas dá um trabalhão logístico.

Então fui numa loja de ferragens e comprei um regador pequeno para três ou quatro litros de água. Orgulhoso da minha aquisição, tratei de inaugurá-lo no outro dia. Quando inclinei o bicho, não aconteceu nada. Não saiu líquido nenhum.

Tirei o bocal e o examinei com cuidado. Aquelas tetinhas onde ficam os furos estavam lá. Será que tinha um tampão e eu não retirei? Não. Diacho, como pode um regador fazer greve de água? Então o Pedro Bó aqui tirou aquela parte e olhou contra a luz. Não entrou luz. Não tinha furo o diabo do regador. Tentei lixar no piso da garagem. Neca. Mal e mal devo ter tirado meio milímetro. E tirar o bocal significa molhar toda a sacada menos a planta-alvo. Não consegui trocá-lo porque perdi a nota fiscal.

Alguém aí da plateia quer comprar um regador que não rega?

Artigos Relacionados

One Response to A greve do regador

  1. Almir disse:

    Usa um prego para fazer os furos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »