Os versos do Caymmi

25 jan • A Vida como ela foiNenhum comentário em Os versos do Caymmi

Fernando Albrecht conta a dos versos de Caymmi ouvida em uma mesa de snooker

Nos velhos e bons tempos do Pif-Paf da revista Cruzeiro, Millôr Fernandes tinha um subtítulo chamado Ministério das Perguntas Cretinas. Na época, eu fiquei maravilhado pelo fato de Millôr ter criado um título para piadas non sense. Como alguns filmes e músicas, que de tão ruins são bons, se me faço entender.

Nos fundos do Bar e Café Santo Antônio, dos irmãos Amigo da Onça (a parecença era incrível), joguei muita sinuca. O taco de ouro era um negro apelidado de Taista, acento no A. Numa dessas madrugadas, estavávamos ambos pela bola nove. Justo quando eu ia encaçapar a bola preta, ele falou.

– Meu guri, tu sabia que o famoso irmão Dorival Caymmi fez uma música em homenagem aos caras que foram batizados de Osmar?

Fiquei curioso, nunca tinha ouvido falar. Esperei a resposta antes de finalizar a jogada.

– É aquela que tem os velsos “Osmar, quando quebra na praia…”

Errei a jogada. Ele não.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »