Quintal do Zé Colmeia

23 nov • ArtigosNenhum comentário em Quintal do Zé Colmeia

modelo crédito da foto albrecht (2)

O Parque de Yellowstone, com seus 9 mil quilômetros quadrados, ganhou fama com o lar do urso Zé Colmeia. E além dele, ali tem quase toda a fauna que a gente quer ver quando visita um parque, por exemplo: a combinação de algas coloridas e água, que reflete paisagens ainda mais coloridas, como a encantada Fonte Prismática. Ela foi a primeira de água quente a ser descoberta no parque, em 1839. É também a maior – tem 112 metros de diâmetro. Isso tudo mudando de cor conforme a luminosidade.

Outra coisa que lembro de ter lido na visita, é que Yellowstone possui 60% de todos os gêiseres. Cerca de 300 conhecidos no planeta. O mais famoso deles, o “Velho Fiel”, tem suas erupções entre 60 e 110 minutos. É possível checar o esguicho, no parque tem uma placa que diz: “Next eruption”. A água sai a uma temperatura de (acredite) 95 graus, ou seja, fervendo, e chega a 56 metros de altura. O “show” dura entre 1min30s a 5 minutos.

Tem também um depósito de bicarbonato de cálcio que moldou os belos travertinos, também encontrados no Minerva Terrace. Durante quase 50 anos, a fonte de água parou de gotejar, deixando a área completamente seca. Em 1951, voltou a entrar em atividade, dando à paisagem um ar inóspito e, ao mesmo tempo, encantador.
Yelowstone também tem seu Grand Canyon, formado pela erosão do seu rio. Em sua passagem pelo parque, o curso d’água percorre quilômetros e mais quilômetros, formando conjuntos de cachoeiras que encantam os visitantes. Todas belíssimas.
Mas, estas são só um pouco das atrações. Tem várias entradas, e em todas elas uma mini cidade. Todas com boas condições para comida e hospedagem, além de ótimos campings.

Ursos como o Zé Colméia, não vi nenhum, mas são muitos; o preto, o menor (mais ou menos 100kg) é furioso. Já o Grisle, com uns 2m50 a 3m, pode ser acinzentado ou marrom. Raramente ataca, mas não por medo ou falta de força. É que tem um bom temperamento. E quando se entra no parque, recebe-se um manual do que fazer em caso de um “encontro”; o primeiro é “NÃO CORRA”, nem solte a mochila, em caso de você ter que deitar no chão, ela evitará que ele arranhe as suas costas. Lembre-se: ele corre bem mais que você em qualquer terreno e arranca com facilidade uma porta de automóvel quando sente cheiro de comida lá dentro (doces especialmente). Também custei a acreditar, até ver fotos de portas de Pick-ups arrancadas no centro de atenção ao cliente.

Aliás, todos são simples, com restaurante, onde vendem também cestas para piquenique. Tem uma livraria e um auditório no qual os Rangers fazem palestras sobre a fauna e as atrações do parque.

Voltando… há alguns animais do parque nos encantaram: uma manada de uns 300 bisões, que chamam de búfalos. Sabem muito bem que são bisões, e que Buffalo Bill, o Willian Cody, matou 50.000 para aproveitar só o couro. A carne ficava jogada, apodrecendo.

Graças às leis e à vigilância exercida, hoje não estão mais em perigo de extinção. Os trezentos que vimos numa ensolarada tarde, interromperam a estrada interna do parque, pastando ou deitados durante uns 45 minutos. Só se ouviam os clicks dos fotógrafos. Nem uma só buzina.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »