Conversa na praça

10 nov • A Vida como ela foiNenhum comentário em Conversa na praça

 Até meados dos anos 1970, cocaína era coisa de rico. Aliás, a cocaína foi sintetizada pela Schering no século XIX como anestésico para cirurgia nos olhos. Caiu no nariz do povo a partir dos anos 1950 e, mesmo assim, povo muito rico. A droga mais poderosa por aqui era Pervirtin, que nem mesmo barato dava. Na forma injetável, viciava rápido. Em comprimidos, era usada para permanecer acordado muito tempo, por isso, muito consumida por vestibulandos para varar as noites.

 Misturada com bebida alcoólica, deixava o cabra mais falante que pai de noiva na hora da festa. Certo Carnaval dos meus 20 anos, deram-me um. Tomei com gim tônica. Fiquei conversando a noite inteira sem parar. Quando terminou o baile, fui para a praça Ruy Barbosa de Montenegro conversar com o busto do Getúlio Vargas.

 Ficamos horas de papo.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »