A serrana

7 ago • NotasNenhum comentário em A serrana

 Ele riu. Eu que ficasse com minha gemada porque ele aceitaria meu conselho. Anos mais tarde, descobri que essa mistura, cachaça, mel e canela, era bebida nas noites frias de inverno quando carregavam o caminhão do meu pai com fardos de alfafa, que serviam para alimentar os cavalos dos quartéis do Exército, da cidade grande. O nome era serrano ou serrana, que a alemoada pronunciava “seróóna”, assim mesmo, estendendo o ó.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »