O sapo do espanto

20 abr • NotasNenhum comentário em O sapo do espanto

 Falta inventariar expressões usadas comumente dos anos 1950/1960 e que sumiram sem mais nem menos e, pior, sem alguém que as recolhesse para posterior divulgação. Mea culpa. Uma das mais curiosas era quando alguém se espantava com alguma coisa ou ficava sabendo de alguma novidade: “Êpa, sapo!” Lembro das primeiras vezes que a usei com amigos que moravam longe da cidade grande, como eles logo se apropriavam da expressão para mostrar aos outros como ele eram malandros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »