Repórter Esso

19 set • A Vida como ela foiNenhum comentário em Repórter Esso

O Mandico era funcionário aposentado do Banco do Brasil, um personagem boêmio que era muito amigo do presidente Jango Goulart, que lhe deu um emprego na rádio da sua propriedade. Vivia no restaurante Dona Maria, na rua José Montaury, Centro de Porto Alegre, de propriedade do austríaco Ernesto Moser – que sempre dizia que tinha três nacionalidades: austríaco de nascimento, brasileiro por naturalização e, para os fregueses que reclamavam da conta salgada, um alemão filho de uma boa mãe.

Pelo duro de primeira, Mandico imitava perfeitamente o sotaque gutural alemão do seu Ernesto, a quem chamava de Arnesto. Também imitava com perfeição o falar do seu Gutterman, um judeu alemão que era cópia 3D do hilário Habacuc, do filme Exército Brancaleone.

O Jornal Nacional da época em rádio – aqui na Farroupilha – e televisão (Tupi) era o Repórter Esso, ouvido de cabo e rabo em todo Brasil. O slogan era “Repórter Esso, o primeiro a dar as últimas”. O Mandico então criou um quadro no seu programa de humor na Farroupilha glosando o Esso.

– Repórter Osso, o último a dar as primeiras!

A Esso reclamou, a brincadeira acabou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »